Excesso de buracos faz ônibus mudar itinerário no Campo Grande

Excesso de buracos faz ônibus mudar itinerário no Campo Grande

Os moradores da região do Campo Grande estão com uma novidade a partir destas segunda-feira, dia 22 de maio. A Itajaí Transportes Coletivos, responsável pelo transporte público da região distribuiu, desde o final da semana passada, um aviso de mudança de trajeto da linha 212, e o motivo foi o excesso de buraco das ruas.

O comunicado trazia a seguinte informação: “Srs. Usuários: A partir do dia 22/05/2017, segunda-feira a linha 212 não atenderá a rua Orlando Paschoal devido ao excesso de buracos, sendo assim irá atender na rua Benjamin Moloise. Desde já, agradecemos a compreensão de todos.”

Agora, por falta de manutenção da prefeitura, os moradores do Jardim São Bento, onde a Rua Orlando Paschoal está localizada, terão que andar cerca de 500 metros a mais, em uma subida, para conseguir utilizar o transporte público.

A responsabilidade de manutenção das vias públicas está na Secretaria de Serviços Públicos, que teve seu orçamento diminuído em 11% de 2016 para 2017. Além disso, o cidadão e a cidadã de Campinas paga R$ 4,50 de tarifa – uma das mais caras do Brasil, além da prefeitura disponibilizar R$ 95 milhões de subsídio para as empresas de ônibus.

O mandato já fez requerimento para a prefeitura exigindo esclarecimentos, além de um cronograma para resolver o problema.

Transportes: Justiça determina fim da dupla função do motorista

Transportes: Justiça determina fim da dupla função do motorista

A Justiça de Campinas, através da 9ª Vara do Trabalho, determinou que as empresas de ônibus de Campinas proíbam os motoristas de exercer a função de cobrador. A determinação veio após o pedido de liminar do MPT (Ministério Público do Trabalho) ser aceito.

Segundo a decisão, as empresas tem 30 dias para cumprir a decisão. O MPT ainda pedia uma indenização de R$ 1 milhão de cada empresa, por lesão aos direitos dos trabalhadores, mas isso não foi acatado.

A abertura do procedimento, segundo o MPT, foi provocada pela demissão em massa de cerca de 1,5 mil cobradores, que culminou no acúmulo de função dos motoristas, bem como de denúncias individuais sigilosas apresentadas por trabalhadores que passaram a dirigir e cobrar passagens, muitas vezes de forma simultânea, fato confirmado pela Emdec, pela Transurc e por concessionárias oficiadas pelo MPT.

Ainda em 2014, o Vereador Pedro Tourinho  protocolou um projeto que obrigava as empresas de ônibus a terem dois funcionários em cada veículos, mas a base governista da Câmara arquivou a proposta.

Pedro Tourinho - Logotipo preto e branco

Jonas Donizette suspende Passe Lazer em Campinas

A Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) publicou no Diário Oficial de Campinas a suspensão para o mês de janeiro do Passe Lazer. O benefício reduz o valor da tarifa do transporte público coletivo para a metade do preço em datas predeterminadas, mas que ocorrem todos os meses.

A ação completa o “mês da maldade” do transporte público. Desde o dia 7 de janeiro, a passagem subiu de R$ 3,80 para R$ 4,50 – um aumento de 18,42%. O reajuste foi publicado no Diário Oficial de segunda-feira (02/01). O Vereador Pedro Tourinho foi à Justiça pedindo a suspensão imediata do abusivo aumento.

O preço de R$ 4,50 será cobrado dos passageiros que pagam a passagem em dinheiro e no vale-transporte. Já os usuários do Bilhete Único terão descontos de R$ 0,30, e vão pagar R$ 4,20. Assim, o passe escolar custará R$ 1,68 e o universitário, R$ 2,10. A Integração também foi alterada pelo Prefeito Jonas Donizette (PSB). A primeira integração (descer de um ônibus e pegar outro) continuará normal, porém, caso o usuário ainda pegue um terceiro ônibus, irá pagar mais R$ 0,30.

Pedro Tourinho - Logotipo preto e branco

Pedro Tourinho entra na Justiça e pede suspensão do aumento da tarifa

Pedro Tourinho  entra na Justiça e pede suspensão do aumento da tarifa

O Vereador Pedro Tourinho foi à Justiça na tarde desta segunda-feira (9/01) pedindo a suspensão imediata do abusivo aumento da tarifa do transporte coletivo. Desde o dia 7 de janeiro, a passagem subiu de R$ 3,80 para R$ 4,50 – um aumento de 18,42%. O reajuste foi publicado no Diário Oficial de segunda-feira (02/01).

Tourinho argumentou um aumento acima da inflação (tarifa subiu 18,42% enquanto a inflação acumulada de 12 meses ficou em 6,98%, segundo o IPCA – IBGE); O reajuste não foi passado pelo Conselho Municipal de Transportes, conforme a legislação da cidade indica; A planilha tarifária da Emdec precisa ser publicizada para a população imediatamente; As próprias empresas admitiram queda no custo, após a demissão de cerca de 1,5 mil cobradores; O aumento absurdo do subsídio repassado às empresas, que só no ano passado chegou a 216%.

De acordo com a Lei Orçamentária Anual, aprovada no final do ano passado, o subsídio de 2017 ficou em R$ 95 milhões. Em 2015, Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) anunciou que a verba mensal seria de R$ 1 milhão às concessionárias do transporte até dezembro, mas em março o valor foi alterado para R$ 2,5 milhões. No começo do ano passado, em janeiro foi pago R$ 7 milhões e em fevereiro foi de R$ 8 milhões – R$ 15 milhões em dois meses de um total de R$ 30 milhões previstos para 2016. Em abril, o montante foi fechado em R$ 95 milhões.

“O aumento da tarifa foi abusivo e sem qualquer justificativa plausível, ainda mais em um momento de grave crise econômica, na qual aqueles que precisam do transporte público, os mais pobres, serão prejudicados”, afirmou o parlamentar.

O preço de R$ 4,50 será cobrado dos passageiros que pagam a passagem em dinheiro e no vale-transporte. Já os usuários do Bilhete Único terão descontos de R$ 0,30, e vão pagar R$ 4,20. Assim, o passe escolar custará R$ 1,68 e o universitário, R$ 2,10. A Integração também foi alterada pelo Prefeito Jonas Donizette (PSB). A primeira integração (descer de um ônibus e pegar outro) continuará normal, porém, caso o usuário ainda pegue um terceiro ônibus, irá pagar mais R$ 0,30.

A Planilha Tarifária da Emdec é genérica, sem sequer especificar custos de cada insumo, e ainda está totalmente desatualizada, já que no site da empresa, ainda consta a de 2015 – o que viola a Constituição Federal, bem como a Lei de Acesso à Informação.

Pedro Tourinho vai ao Ministério Público contra aumento da passagem

O Vereador Pedro Tourinho vai protocolar uma denúncia no MPE (Ministério Público Estadual) contra o aumento da da tarifa do transporte coletivo. A partir do dia 7 de janeiro, a passagem vai subir de R$ 3,80 para R$ 4,50 – um aumento de 18,42%. O reajuste foi publicado no Diário Oficial de segunda-feira (02/01). O órgão estadual só aceita protocolos a partir da próxima segunda-feira, dia 9, portanto, a denúncia será entregue neste dia.

O preço de R$ 4,50 será cobrado dos passageiros que pagam a passagem em dinheiro e no vale-transporte. Já os usuários do Bilhete Único terão descontos de R$ 0,30, e vão pagar R$ 4,20. Assim, o passe escolar custará R$ 1,68 e o universitário, R$ 2,10.

Tourinho vai argumentar um aumento acima da inflação (tarifa subiu 18,42% enquanto a inflação acumulada de 12 meses ficou em 6,98%, segundo o IPCA – IBGE); O reajuste não foi passado pelo Conselho Municipal de Transportes, conforme a legislação da cidade indica; A planilha tarifária da Emdec precisa ser publicizada para a população imediatamente; As próprias empresas admitiram queda no custo, após a demissão de cerca de 1,5 mil cobradores; O aumento absurdo do subsídio repassado às empresas, que só no ano passado chegou a 216%.

A Integração também foi alterada pelo Prefeito Jonas Donizette (PSB). A primeira integração (descer de um ônibus e pegar outro) continuará normal, porém, caso o usuário ainda pegue um terceiro ônibus, irá pagar mais R$ 0,30.

SUBSÍDIO

De acordo com a Lei Orçamentária Anual, aprovada no final do ano passado, o subsídio de 2017 ficou em R$ 95 milhões. Em 2015, Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) anunciou que a verba mensal seria de R$ 1 milhão às concessionárias do transporte até dezembro, mas em março o valor foi alterado para R$ 2,5 milhões. No começo do ano passado, em janeiro foi pago R$ 7 milhões e em fevereiro foi de R$ 8 milhões – R$ 15 milhões em dois meses de um total de R$ 30 milhões previstos para 2016. Em abril, o montante foi fechado em R$ 95 milhões.

Passagem de ônibus de Campinas vai subir em janeiro

Passagem de ônibus de Campinas vai subir em janeiro

O Prefeito Jonas Donizette (PSB) confirmou que a tarifa do transporte coletivo de Campinas será reajustado em janeiro. A informação foi publicada pelo jornal Metro, na edição desta sexta-feira (16/12).

O subsídio das empresas que operam o transporte público da cidade saltou, no meio do ano passado, de $ 2,5 milhões para R$ 5 milhões mensais – o segundo aumento apenas no ano de 2015.

Em janeiro de 2015, a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) anunciou que a verba mensal seria de R$ 1 milhão às concessionárias do transporte até dezembro, mas em março o valor foi alterado para R$ 2,5 milhões.

Em janeiro deste ano, foi pago R$ 7 milhões e em fevereiro foi de R$ 8 milhões – R$ 15 milhões em dois meses de um total de R$ 30 milhões previstos para 2016. Em abril, o montante foi fechado em R$ 95 milhões.

Audiência Pública do orçamento 2017 acontece no próximo dia 7

Audiência Pública do orçamento 2017 acontece no próximo dia 7

A Câmara Municipal de Campinas irá promover, a partir das 9h do próximo dia 7 de novembro, a Audiência Pública sobre a LOA (Lei Orçamentária Anual) de Campinas para 2017 . O orçamento previsto é de R$ 5,39 bilhões, índice 6,58% maior do que o deste ano de 2016, mas menor que a inflação projetada para este ano, de 7,26%. A audiência será realizada para que a população possa tomar conhecimento mais amplo da LOA, entender melhor o que está sendo proposto bem como perguntar e se manifestar a respeito da peça.

A verba da saúde para os 12 meses foi reduzida em R$ 30 milhões. O orçamento da saúde, proposto por Jonas Donizette, vai na contramão da inflação de 10%, e é reduzido mais ainda. A Secretaria de Transporte/Emdec, a mesma que aumentou em 216% o subsídio das empresas de ônibus somente neste ano, também ganhou um aumento considerável.

De R$ 114,9 milhões, foi para R$ 259,9 milhões – um crescimento de 126,1%. Sabemos que grande parte é para o subsídio, apesar de outras explicações. A Secretaria de Serviços Públicos, que englobam as administrações regionais, teve queda de 11% e a Infraestrutura, uma queda de 8,93%.

Após a audiência, o Orçamento estará apto a entrar em primeira votação, na qual a Câmara avaliará a legalidade da peça. De acordo com o regimento, a LOA só pode voltar a pauta para segunda votação após um intervalo de duas sessões – neste período, os parlamentares podem apresentar quaisquer emendas que acharem necessárias para que sejam votadas com ela.

 

Sessão da Câmara: PEC 241 e o atentado contra o Estado brasileiro

Sessão da Câmara: PEC 241 e o atentado contra o Estado brasileiro

Hoje vou tratar de um tema da mais alta importância para os brasileiros e brasileiras – pessoas estas que acompanham o desenvolvimento das políticas públicas brasileiras. Para contextualizar, uma das principais reivindicações dos setores presentes na ruas durante estes últimos tempos eram mais educação, saúde e ampliação dos direitos sociais.

O que é debatido hoje em Brasília coloca em risco a ampliação do direito à saúde, educação, moradia, transporte público, entre outros. Trata-se da PEC 241, debatida neste exato momento, de forma acelerada como jamais deveria ser. Pior ainda: corre o risco de ser aprovada ainda em outubro.

A PEC institui um teto de gastos nestas áreas. Pelos próximos 20 anos, esse valor só poderia ser reajustado de acordo com a variação da inflação dos últimos 12 meses. Essa medida quer determinar como o Estado Brasileiro vai funcionar nos próximos 20 anos. É mais impactante do que qualquer coisa já feita anteriormente.

Para dar exemplo: uma criança que nasce hoje só vai conhecer outra função do Estado quando tiver 20 anos. Será um contexto de arrocho e cerceamento de direitos pelos próximos 20 anos. Uma decisão feita sem debate, de forma autoritária.

Estamos vivendo um período de aceleradas transformações no Brasil do ponto de vista demográfico, epidemiológico, tecnológico e organizacional. Essas mudanças vão pressionar substancialmente o SUS.

Nossos gastos sociais estão longe de ser o grande problema do orçamento. Todo ano, a saúde não chega a gastar 4% do orçamento. Com educação, é menos ainda. E considero isso muito pouco. Não há parâmetro de gastos em qualquer lugar do mundo que justifique essa medida. Congelar é uma medida perversa e que vai ceifar milhões de vidas.

Debate sobre benzeno acontece nesta quarta-feira

O Vereador Pedro Tourinho vai promover o debate público “Os trabalhadores e a luta contra a exposição do benzeno” nesta quarta-feira (05/10), a partir das 14h, no Plenarinho da Câmara de Campinas.

A ação será feita em conjunto com o Sinpospetro (Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Campinas e Região), Sindicato Unificado dos Petroleiros, Sindicato Unificado dos Químicos e Mandato do Vereador Pedro Tourinho.

O dia 5 de outubro é a data nacional de luta contra os efeitos da exposição ao benzeno, produto altamente cancerígeno. O debate serve criada para alertar os trabalhadores e usuários dos postos de combustíveis sobre o mal causado pelo benzeno à saúde.

O benzeno é uma substância tóxica presente na gasolina. Ao abastecer o carro, essa substância é expelida em forma de gás e é absorvida, pelos trabalhadores e usuários, pela respiração, pela pele ou por ingestão. No organismo humano, o benzeno leva à ocorrência de câncer.

Tourinho protocola projeto que garante 50% de mulheres nos conselhos

Tourinho protocola projeto que garante 50% de mulheres nos conselhos

O Vereador Pedro Tourinho protocolou, na noite de segunda-feira (14/07) um projeto de lei que determina que o Controle Social na cidade de Campinas, deverá contar em seus conselhos, inclusive nos conselhos gestores, com a composição mínima de 50% de mulheres. O projeto agora irá passar pelas comissões da Câmara Municipal.

A participação do gênero feminino nos conselhos na proporção de 50%, se dará paulatinamente na medida em que se realizem os processos de renovação destes mesmos conselhos.

As mulheres perfazem um pouco mais da metade da população brasileira, porém, a representação no parlamento é mínima, o mesmo ocorre no Controle Social e não corresponde a sua importância na sociedade.

“A dívida do país é histórica e também a cidade de Campinas precisa resgatar este débito com as mulheres, começando por garantir a participação em igualdade numérica com os homens”, afirmou o parlamentar.

Pedro Tourinho - Logotipo preto e branco