Pacientes com câncer sofrem com falta de remédio no Mário Gatti

Pacientes com câncer sofrem com falta de remédio no Mário Gatti

O Hospital Municipal Doutor Mário Gatti está com o medicamento Zoladex, usado para controle hormonal no tratamento de câncer de próstata, em falta há pelo menos dez dias. A informação foi divulgada hoje (04/02) na edição do jornal Metro.

Segundo a reportagem, 65 pessoas estão aguardando há dez dias um medicamento que precisa ser aplicado a cada 28 dias para que o tratamento tenha progressão.

De acordo com o site oficial da Secretaria de Saúde, na data de hoje 11 medicamentos estão em falta na rede pública de Campinas, e somente pagando é possível conseguir alguns. Não há prazo para entrega destes itens.

 

OS de Bariri vence licitação do Hospital Ouro Verde

OS de Bariri vence licitação do Hospital Ouro Verde
A OS (Organização Social) Vitale Saúde, da cidade de Bariri, ficou em primeiro lugar na classificação para assumir a gestão do Complexo Hospitalar Ouro Verde, de Campinas. A abertura dos envelopes ocorreu na manhã de ontem (02/02) e foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (03/02).

A Associação Paulista para Desenvolvimento da Medicina, atual gestora da unidade, ficou em segundo lugar o Grupo de Apoio à Medicina Preventiva e à Saúde Pública, de Cotia, foi desclassificado por ter a nota técnica abaixo de 60% do valor máximo de 80.

O edital prevê o período de transição de um mês e, ao final dele, a futura contratada assumirá todos os serviços de atividades contratados para a gestão da unidade. O valor mensal pago a SPDM é de pouco mais de R$ 10 milhões. O hospital Ouro Verde faz aproximadamente 1,3 mil atendimentos mensalmente e trabalha com 220 leitos.

Pedro Tourinho - Logotipo preto e branco

Ministério Público investiga fraude na merenda de Campinas

Ministério Público investiga fraude na merenda de Campinas

O MPE (Ministério Público do Estado) está investigando uma possível fraude em relação à merenda escolar que podem passar de R$ 3 milhões. O executivo campineiro foi um dos alvos da operação “Alba Branca”, que ocorreu em conjunto com a Polícia Civil nesta terça-feira em 16 cidades do estado de São Paulo.

A empresa investigada por fraude participou de quatro chamadas públicas na cidade, ganhando duas para fornecimento de suco de laranja, com dois contratos nos períodos de 2012-2013 e 2013-2014. Ao todo a operação teve 24 mandados de busca e apreensão e seis mandados de prisão contra a empresa Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar de Bebedouro, que seria a líder do esquema.

As outras prefeituras investigadas são de Americana, Sumaré Paraíso, Novaes, Santos, Colômbia, São Bernardo do Campo, Santa Rosa de Viterbo, Bauru, Mogi das Cruzes, Barueri, Araras, Cotia, Mairinque e Caieiras.

Pedro Tourinho - Logotipo preto e branco

CS Vila Rica voltar a ter problemas de infiltração

CS Vila Rica voltar a ter problemas de infiltração

No dia 05 de novembro, os funcionários do CS (Centro de Saúde) Vila Rica paralisaram os atendimentos por causa de alagamentos na unidade. A farmácia, salas e os prontuários dos pacientes, que ficam na recepção, foram atingidos. Ontem (12/01), novamente, os funcionários tiveram problemas com a falta de manutenção somada com as chuvas.

A farmácia, mais uma vez, foi a grande prejudicada, e diversos medicamentos foram perdidos, já que ficaram sob a enxurrada que vinha do teto. Até o momento, não é possível mensurar o prejuízo causado por mais este descaso da administração Jonas Donizette (PSB).

Vale lembrar que no dia 3 de outubro de 2014, a prefeitura, em seu site oficial, divulgou a reforma do CS Vila Rica com o seguinte texto: “No CS Vila Rica foram realizados reparos hidráulicos e elétricos, pinturas externa e interna, limpeza e substituição de telhas, troca de toldos, manutenção de portas de ferro e substituição de fechaduras e portas de madeira”.

Logo após o ocorrido em novembro passado, o vereador Pedro Tourinho (PT) fez questionamentos à prefeitura que garantiu uma nova reforma. Esta manutenção foi feita em dezembro de 2015, mas, mais uma vez, o resultado não surtiu efeito algum.

Pedro Tourinho - Logotipo preto e branco

 

 

 

Mário Gatti tem setor interditado por falta de estrutura

Mário Gatti tem setor interditado por falta de estrutura

O Setor de Diagnóstico por Imagem – Endoscopia do Hospital Municipal Doutor Mário Gatti foi interditado pela Vigilância em Saúde de Campinas. O motivo foi a falta de estrutura que permeia as atividades desta unidade de saúde.

De acordo com a publicação desta terça-feira, no Diário Oficial do Município, a ala não possui estrutura físico funcional adequada para o desenvolvimento de todas as atividades do serviço, além de também faltar quadro de recursos humanos, ou seja, falta funcionário em um dos maiores hospitais de Campinas.

“Venho denunciando desde o começo do meu mandato que a administração do prefeito Jonas Donizette (PSB) conseguiu piorar, e muito, o setor da saúde em Campinas. A interdição de uma área no Mário Gatti, que é de extrema importância, só demonstra ainda mais este descaso”, afirmou o vereador Pedro Tourinho.

Segundo a mesma publicação do Diário Oficial, não há uma data para que o serviço seja normalizado.

Pedro Tourinho - Logotipo preto e branco

Aplicativo mostra atraso em 47% das promessas do prefeito Jonas Donizette

Aplicativo mostra atraso em 47% das promessas do prefeito Jonas Donizette

O vereador Pedro Tourinho (PT) promoveu, na tarde de ontem (25/11), o lançamento do aplicativo que monitora as metas da Prefeitura de Campinas, criado pelo sociólogo e morador de Campinas, Alcino Vilella. O portal, acessado pelo endereço www.promessometro.org, mostrou que a administração municipal cumpriu, até abril deste ano, 54%.

A ferramenta, batizada em “Promessômetro”, permite ao cidadão campineiro avaliar a gestão do prefeito da cidade. O Promessômetro reúne diversos indicadores, entre eles o programa de metas do prefeito Jonas Donizette (PSB). Eles são divididos entre Sustentabilidade, Transparência, Programa Verde e Azul, Efetividade no TCE (Tribunal de Contas do Estado), Qualidade do ar, entre outros.

“Todos os dados são de fontes oficiais, inclusive o site da própria Prefeitura de Campinas. Há também informações com dados do TCE, do governo federal, prestação de contas municipais, etc. É uma forma isenta da população conhecer as promessas e o cumprimento das mesmas do candidato que ele escolheu”, afirmou o sociólogo.

Nesse caso, o aplicativo identificou que desde 2013, ano que marca o início do atual governo. Foram analisadas 171 metas, retiradas do Plano de Metas do Governo Jonas Donizette, e destas, 30 foram entregues (17%). Outras 60 estão em andamento, o que representa 35%, e 81 metas estão atrasadas – cerca de 47%.

“Se a sociedade se apodera desse tipo de sistema, com certeza, os administradores municipais, mais especificamente o prefeito Jonas Donizette, terá que prestar contas com muito mais clareza”, disse Tourinho.

Sessão da Câmara: Jonas Donizette vai cortar hora extra de serviços essenciais de Campinas

Quero colocar, primeiro, que o uso do direito a fala é muito importante, e por isso nunca vou me privar dela. Hoje, falo da decisão da Prefeitura de Campinas de cortar a hora extra dos funcionários da rede municipal.

Hoje, há diversos profissionais fazendo hora extra nas unidades de saúde porque há necessidade. Os serviços no Pronto Atendimento, Pronto Socorro ou Centro de Saúde só são cumpridos por causa deste tempo a mais que os profissionais ficam no trabalho. Não há nenhum gosto por trabalhar muito a mais do horário, mas uma necessidade.

Há vários serviços que hoje dependem destas horas extras, e cortando isto, os serviços não serão supridos de forma efetivas. Há um custo? Sem dúvida. Mas o Ministério Público mostrou e pediu que o número de comissionados está absurdamente alto e que o aparelhamento é claro. Há dinheiro sendo gastos em locais que o MP condena, mas a política pública da prefeitura é cortar hora extra.