Pedro Tourinho anuncia pré-candidatura a deputado estadual

Pedro Tourinho anuncia pré-candidatura a deputado estadual

Pedro Tourinho (PT) anunciou, nesta terça-feira (22), sua pré-candidatura a deputado estadual, por meio de um manifesto. Confira:

Outros outubros virão

Sou Pedro Tourinho, atuo como médico, professor de medicina da PUC de Campinas e vereador pelo Partido dos Trabalhadores (PT) em meu segundo mandato. Desde os tempos de movimento estudantil, firmei um compromisso com a promoção da cidadania. Estudar, questionar, formular e participar da construção do Sistema Único de Saúde (SUS) me fez ter contato com aquilo que até hoje me move: as pessoas, suas vidas e, sobretudo, a vontade de transformar e diminuir o imenso abismo que existe entre o que lhes é de direito e aquilo que lhes é garantido.

Foi o desejo de transformação e de aproximação com as pessoas e a garantia de seus direitos que me fez querer ser vereador em Campinas, uma cidade que já foi exemplo de desenvolvimento em diversas áreas, mas que vem há anos sendo maltratada por uma política antipopular. É também por essa vontade, que é construída e alimentada cotidianamente, de maneira coletiva, que estou me colocando como pré-candidato a deputado estadual por São Paulo.

Esse é um projeto pensado por muitos corações e mentes que anseiam por representação no enfrentamento à política das elites contra a população. Um projeto que não parte apenas de meu anseio pessoal, mas de todos e todas que vêm, há seis anos, fazendo política de esquerda conosco.

Fizemos muito juntos! Fomos nós quem propusemos a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Ouro Verde, para fiscalizar a saúde em nosso município, que vem vivendo um estado de caos fruto do descaso, incompetência e desvio de recursos do SUS. Também fomos nós quem pedimos uma investigação rigorosa da merenda escolar em Campinas, que mediamos o diálogo que possibilitou a garantia de Habitação de Interesse Social na cidade, que defendemos uma educação plural e democrática nas escolas, que estivemos (e seguimos) junto das cooperativas de catadores e catadoras de materiais recicláveis, e que fiscalizamos, com empenho, as medidas antidemocráticas da administração Jonas Donizette.

O desafio agora, além de continuar participando e apoiando estes movimentos na cidade, é atuar na região de Campinas e em todo estado! Estar na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) é de suma importância para isso. Como deputado estadual, poderei fazer ainda mais e assumo, de antemão, o compromisso de tirar o sono de quem constrói uma cidade e um estado “para poucos”, e para os mesmos de sempre. Para isso, quero contar com o seu apoio! Vamos juntos e juntas construir uma pré-candidatura popular para a ALESP!

Nenhum minuto de silêncio, toda uma vida de luta

Nenhum minuto de silêncio, toda uma vida de luta

É com tristeza e pesar que venho por meio desta prestar minha solidariedade à família do companheiro Márcio de Oliveira Matos, militante do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e do Partido dos Trabalhadores (PT), da cidade de Iramaia, no sudoeste da Bahia, assassinado brutalmente na noite de ontem (24).
Ainda não se sabe qual a motivação para um crime tão bárbaro. Esperamos que haja a apuração devida e que os autores sejam responsabilizados, segundo o devido processo penal.
Marcinho tinha 33 anos e um filho de seis ano de idade, foi um militante forjado na luta pela terra, ex- dirigente nacional do MST pelo Estado da Bahia e um combativo militante do PT.

“Por nossos mortos nenhum minuto de silêncio, mas toda uma vida de luta!”

Pedro Tourinho
(Vereador pelo Partido dos Trabalhadores em Campinas)

Nota de solidariedade ao Levante Popular da Juventude: lutar não é crime!

Nota de solidariedade ao Levante Popular da Juventude: lutar não é crime!

Durante a noite de ontem (24), após o julgamento do ex-presidente Lula, 28 jovens, entre eles militantes do Levante Popular da Juventude, foram detidos no 3ª Departamento de Polícia de Porto Alegre. De acordo com os presentes, o processo foi conduzido de maneira arbitrária: os policiais encontravam-se sem suas devidas identificações e revistaram os pertences dos militantes sem o acompanhamento dos mesmos ou de seus advogados.
A criminalização dos movimentos sociais é mais uma ramificação do golpe que sofremos em 2016! Temos vivenciado um desmonte do Estado brasileiro e da violação contínua de direitos conquistados com muita luta pelo povo brasileiro. Não podemos admitir arbitrariedades e a não possibilidade de se indignar contra as inúmeras injustiças que irão penalizar toda nossa juventude, retirando dela perspectivas de uma vida plena e digna.
Se manifestar é um direito e lutar por uma sociedade mais justa não é crime!
Toda solidariedade aos companheiros do Levante Popular da Juventude, seguimos em luta!

Pedro Tourinho
(Vereador pelo Partido dos Trabalhadores em Campinas)