Em defesa da universidade pública

Em defesa da universidade pública

De 2003 até o golpe de 2016, o número de matrículas nas universidades brasileiras passou de 3,7 milhões para mais de 7 milhões. Uma parcela da população, que não tinha acesso à universidade, como estudantes de escola pública, passou a contribuir para a construção de um ensino, pesquisa e extensão referenciados nas necessidades da população. O conhecimento produzido pelas universidades e institutos públicos de pesquisa é fundamental para um projeto de Brasil mais justo e soberano e deve estar articulado à redução das graves desigualdades do país.
Vamos atuar para que as universidades e institutos públicos de pesquisa voltem a funcionar bem! Para isso, vamos lutar:
• Para revogar a Emenda Constitucional n. 95/16, que congela os investimentos
em educação;
• Por políticas de permanência estudantil;
• Para ampliar vagas, reestruturar campis e criar novos cursos;
• Para revogar corte de investimentos com bolsas de pesquisa;
• Para retomar os investimentos da CAPES e do CNPq em pesquisa e extensão;
• Para impedir a privatização de institutos de pesquisa e de ensino.
Pedro Tourinho

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *
You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>